sexta-feira, 29 de julho de 2016

SIMPLESMENTE MULHER

             És desejo. És mulher em todos os sentidos. Contigo um homem tem que aprender ir além do prazer. Deve aprender se perder. Ao perder-se, descobre a razão de viver. É na partilha do ser e no ser e não do prazer que se dá o sentido da vida.
            És a estrada que almejo palmilhar. Quero escrutinar cada milímetro dela. Percorrer lentamente, desfrutando das curvas sinuosas. Palmilhando cuidadosamente este chão sagrado. Nele me realizo. Sim, é nele que sou feliz. Me encontro e me perco, nesta estrada que volto sem contas.
            És caminho para os meus descaminhos. Encontro para os meus desencontros. E ao percorrer-te, encontro a paz que tanto almejo. Deixo-me levar por estra estrada, desfrutando do perfume que dela exala. Sou levado para um estado de calma. Caminho lentamente, subo aos teus montes, desfruto do aroma delas. Desço até as tuas fontes para matar a minha sede. Sedento sorvo de ti. Sacio-me em ti.
            Por ti e em ti sou levado. Qual um invisual que necessita de um guia. Também assim sou eu, que me deixo conduzir para que possa desenvolver a sensibilidade necessária para poder conhecer-te completamente. Sim, quero poder ter a sensibilidade do toque para percorrer-te. Ter o paladar apurado para degustar e provar de tudo que há no caminho. Sensibilidade apurada para poder ouvir cada som, cada cicio que advém e surge de ti. Visão apurada para me deixar seduzir e poder simplesmente contemplar cada milímetro deixando-me surpreender e desejar sempre voltar e reencontrar como novidade. Quero desfrutar do teu aroma. Sentir teu cheiro, o mais puro e mais belo. Não o cheiro dos perfumes, mas o cheiro da tua essência.
            És vida que pulsa em mim. És vida que jorra em mim e que se faz mim. És prazer e alegria e em ti me vejo agrilhoado, mas livre. Livre para descobrir-te, livre para amar-te, mas preso para estar sempre junto a ti. Por opção faço-me prisioneiro, mas é ao aceitar esta liberdade condicional que encontro o prazer da vida. Em ti faço-me prisioneiro por opção e desfruta da liberdade semi-aberta, onde cada dia saio para trabalhar, mas regresso para o meu cativeiro, que na verdade é meu porto de abrigo.
            És mulher. Contudo, não é qualquer mulher. És a Mulher. A escolhida e amada. Aquela que me realiza. Em ti me encontro, me faço e refaço. No teu regaço encontro o alento e o prazer. Na tua companhia há realização e alegria. Sim, em ti eu me encontro, me percebo. Contigo sou e ouso ser e assim ousando, realizo-me no prazer que encontro em ti e do prazer que jorra de ti para mim.

            És a minha primavera. Cheia de cores. Cheia de perfume. De ti jorra a vida, o amor. De ti floresce o prazer. Sou apenas um colibri a sorver do mais precioso néctar que a vida poderia presentear-me. És flor, és amor. O caminho em que me encontro e me perco. És simplesmente mulher.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O QUE DIZER A UMA MULHER

O que se diz a uma mulher que sabe que é amada?
O que se diz a uma mulher que a cada dia se renova em beleza?
O que se diz a uma mulher que continua a cada dia ser a tua musa?
O que se diz a uma mulher que é tua inspiração?
O que se diz a uma mulher que te alimenta o sonho e a fantasia?
O que se diz a uma mulher que é a tua alegria?
O que se diz a uma mulher que te realiza?
O que se diz a uma mulher que é tua companheira?
O que se diz a uma mulher que te alimenta e inspira?
Tantas perguntas e apenas uma resposta.

Para uma mulher assim, deve-se continuar a dizer: "Eu te amo!"